terça-feira, 26 de outubro de 2010

São os moradores de rua o lixo da sociedade?



Foto: google
Por Raquel Luciano

Em uma sociedade moderna, com grande tecnologia e avanços, acabamos esquecendo de algo que está ao nossos olhos: os moradores de ruas. Quem mora em uma grande cidade que já não viu esses cidadãos rodando em busca de produtos para vender e gerar dinheiro assim como um lugar para dormir e se abrigar a noite.

Em São Paulo, a maioria desse pessoal não é da cidade, às vezes vindo do nordeste ou de alguma cidade vizinha. O interessante é que nem todos nasceram na rua. Muitos já tiveram casa confortável e uma vida boa, mas por algum motivo pessoal ou pelo destino acabaram vivendo em condições deploráveis.

Em São Paulo, a prefeitura tomou uma decisão que para alguns pode ser drástica e para outros certa. Qualquer um que esteja habitando embaixo de pontes será retirado do local e enviado para outra parte da cidade. Alêm disso, todos os seus moveis são recolhidos e a pessoa fica a mercê da situação. Outro caso é que se algum carro da prefeitura observar um “carroceiro” andando pelas ruas, ele aprendem a sua carroça e também deixam eles em outro local bem longe de onde foram abordados. Essa descrição não é um relato fictício. Foi um depoimento do próprio funcionário da prefeitura que após a tentativa de “capturar” um morador de rua na Avenida dos Bandeirantes, acabou descrevendo a situação a um comerciante local.

Davi, morador de rua a mais de 10 anos tinha uma vida boa. Sua família mora no bairro do Jabaquara, mas ele diz que prefere ficar pelas ruas a conviver com pessoas que não gosta. Ela conta que foi viver na rua após a morte de seu pai. Todos os dias ele anda pela Zona Sul com sua carroça recolhendo objetos para vender e poder comprar algo para comer. Com seu jeito já ganhou a simpatia dos moradores locais, mas também a ira de alguns.

Nos não podemos fechar os olhos para uma situação que está bem a nossa frente. Claro que ninguém gosta de ver a sua cidade exposta a situações de pobreza ou lixo, mas temos que lembrar que essas pessoas merecem uma atenção especial dos governantes. Não se deve pegar um cidadão, tirar ele de onde está e jogar em outro como se fosse um produto de sem uso.

Vamos respeitar a todos para merecer respeito também.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Comunicação Corporativa inova e cria laços com assessorado

Com foco em relacionamento, assessorias usam de novas mídias e boa relação com o publico para crescer no mercado



Em um mundo de transformações, as grandes empresas precisam se adaptar ao mercado e em seu público alvo fortalecendo a comunicação. Falando um pouco sobre transparência, globalização e relacionamento com o público, Clau Duarte, assessora do Grupo Santander nos contou sobre a participação de uma multinacional no mercado da comunicação corporativa.

A comunicação corporativa serve para mostrar a seus associados o papel da empresa e tentar aproximar cada vez mais o seus colaboradores da realidade. Duarte retrata que no Santander a intranet, assim como o uso do Twitter, é liberado para os funcionários. Além disso, uma Tv foi instalada nos andares da empresa mostrando todas as matérias que são vinculadas pela mídia sobre o assessorado. Isso proporciona uma maior interação e conhecimento.



Sobre as Mídias Sociais atuais, Duarte enfocou que “apesar de algumas notícias falsas sobre determinada empresa estarem sendo divulgadas, o papel do assessor é entender exatamente onde está o problema para apresentar uma solução. Muitas dicas, reclamações geraram oportunidades, e o cliente ficou mais fidelizado com a assessoria. Então, não vemos uma reclamação negativamente, mas sim como oportunidade de melhoria”.

Falando sobre a gestão de crise, ela explica que o mais importante quando ocorre uma é entender o que aconteceu. Levantar todas as informações, verificar se realmente foi um problema da instituição ou não. A partir daí, traçar uma estratégia para ver de que maneira você tem que se posicionar. Se errou, você tem que dizer que errou sem medo.

Assim, a comunicação corporativa tem que estar sempre focada em se relacionar com o maior produto: os funcionários. Eles sim são as portas de uma excelente mensagem e propaganda da empresa.

Para mais detalhes da Semana de Jornalismo, entre no site www.redacao.natario.com