segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Estamos sendo marginalizados pelo conteúdo cultural?


Ontem, depois de mais um dia com insônia resolvi acompanhar mais um dos "GRANDES" filmes que a Rede Globo passa após as 11 horas. E percebi o quanto é ruim ficar sem sono quando não se tem nada pra ver na TV....era melhor ter lido um livro ou jogado cartas....perdi meu tempo.

Mas porque estou falando isso? Ontem foi exibido o filme "Cidade dos Homens" e no final fiquei me perguntando: Porque se financia uma produção dessas que só mostra violência, palavrões e uma sociedade marginalizada? Será que somos obrigados a ver esse tipo de material mesmo sabendo q ele existe?

Eu acho que temos que ficar informados sobre o que acontece na sociedade, mas depois de um filme desses, a minha vontade foi de nunca mais colocar os pés no RJ...lugar q só tem maloqueiro, bandido, violência etc.

O roteiro do filme é baseado na amizade de 2 meninos que vivem nos morros cariocas. Retrata a amizades deles e todo os percursos da vida.
Só que o mais se ver são cenografias que empobrecem ainda mais a cidade carioca e uma população que marece que só sabe ser malandra.

Pra você ter $ pra elaborar um filme, precisa de muito sacrificio, mas parece que para esse tipo de roteiro tudo é mais facil. 

Nós como sociedade temos que ser mais seletivos. Claro, não fechando os olhos para a realidade, mas sabendo escolher o que vamos colocar dentro da nossa mente. Não podemos marginalizar com conteúdo sem qualquer importancia. Temos que crescer....Saber o que existe lá fora sem transformar em circo.

Dando as caras
Bem, depois de vários meses fora desse cantinho, resolvi voltar hoje a rotina de escrever sobre meus pensamento e criticas do cotidiano....E quantas coisas se passaram durante essa hibernação de conteúdo. Vejo que poderia aproveitar mais esse espaço como forma de interação de idéias....Mas na verdade depois penso que devo fazer isso porque quero e não como uma obrigação, até porque tudo q é obrigado não é legal....

Vamos lá correr com as idéias para que elas não corram de mim...