terça-feira, 30 de outubro de 2012

Tempestade em país rico é tragédia....em país pobre é estatística

Imagen da esquerda é do marco zero (antiga torres gêmeas em NY) após a passagem do Sandy e a direita enchente em 2009 na cidade de São Paulo.


Na manhã de hoje fomos informado que a Tempestade Sandy chegou a costa leste americana causando estragos em varias cidades, entre elas Nova Yorque, levando até o momento mais de 15 pessoas a óbito. Á dias os noticiários internacionais vem relantando a passagem da tempestade que foi considerada uma das maiores em mais de 180 anos. Uma das grandes metrópoles do mundo ficou deserta com o alarme de devastação. As autoridades locais fecharam até mesmo a bolsa de valores e pontos turísticos, formando barricadas para que a água do mar não invadissem, causando mais estragos.

Agora, não é esse tipo de noticia que vemos todos os anos em nossos jornais sobre as tragédias que ocorrem no verão na maioria das cidades do Brasil? Quem lembra da cidade de Petrópolis e Teresópolis que foram devastadas e até hoje estão esperando ajuda e recuperação dos locais afetados???!!!!! A diferença está em como tal fenômeno acontece e onde acontece.

A cidade de SP sofre todos os anos com enchentes que levam seu moradores ao desespero. Uma chuva de 10 minutos de forma torrencial já pode fazer um grande estrago e causar transtortornos as vezes irreversíveis.

Mas porque aqui esse fato é estatística e lá fora uma tragédia? Vai ver porque acostumamos a forma como os governantes tratam como "FENÔMENO DA NATUREZA", ou seja, ficamos a mercê do que o tempo vai nos dar em troca de uma má administração, cidades mal planejadas ou a não concientização na preservação do meio ambiente.

Além disso, Nova Yorque não pode ficar parada, não pode ficar alagada....o 1° mundo não pode sofrer....tragédia é para os pobres, sofrimento é para os excluidos....por isso se causa tanta comoção....
Nós sim sabemos o que é ficar ilhados em casa sem comida, suprimentos básico e ajuda....realmente aqui deveria ser uma tragédia....